Browsing Category:

Tutoriais

  • Diversos, Tutoriais

    Aluguel de Motorhome: locação barata pelo site Imoova

    Estávamos nos EUA em pleno verão e quando a pandemia começava a dar sinais de melhora, era uma época perfeita para explorar os parques da região da Costa Oeste. Logo pensamos no aluguel de motorhome para explorar a região, porém nem sempre os preços são convidativos.

    Resolvemos testar o serviço de relocação de carros, em outras palavras é do que uma locação de veículo porém com data e saída definidas e destino certo.

    As empresas oferecem o veículo por um valor bem abaixo dos praticados pelo mercado porque a intenção dela não é vender o serviço de locação, mas sim que você leve o carro no destino que eles precisam.

    Nós na Rota 66

    Como funciona a relocação de veículos?

    Vou exemplificar melhor, você está de férias com sua família pela Costa Oeste dos EUA e resolve alugar um Motorhome para ir de São Francisco até Las Vegas.

    Sua intenção não é voltar para São Francisco e sim terminar sua viagem em Las Vegas, para isso você paga uma taxa extra e deixa o carro em outra filial da empresa de locação de veículos.

    A empresa precisa retornar o veículo para São Francisco, contudo não há muita demanda na rota Las Vegas – São Francisco, portanto ela oferece benefícios para quem quer levar o veículo de volta.

    Motorhome no Camping do Sequoia National Park

    Quanto custa o aluguel de Motorhome?

    Os carros normalmente custam de U$1 a U$10 por dia, sim, eu não errei a digitação. Um aluguel de motorhome que chega custar U$180 a diária, sai por apenas U$1, e algumas empresas dão até um voucher de combustível.

    Contudo nem tudo são flores e esses carros tem além da origem e destino definidos também tem datas definidas e quantidade de diárias limitadas. Frequentemente é uma faixa de data que tem uma flexibilidade de até uma semana, porém o mais comum é de apenas 1 ou 2 dias e nem sempre são divulgados com muita antecedência.

    Onde encontro aluguel de Motorhome barato?

    Os carros não são oferecidos pelos sites das locadoras que conhecemos e sim por um parceiro. Um dos melhores sites que juntam as ofertas é o Imoova, que foi o que utilizamos para encontrar nosso aluguel de Motorhome.

    O Imoova tem o serviço de aviso no site, mas é sempre bom estar de olho pois não funciona tão bem. Nós olhávamos todos os dias, até que um dia apareceu!

    Tudo isso é difícil conciliar em umas férias corridas, mas com um pouco de flexibilidade você consegue. Não é sempre que esses carros estão disponíveis. Em alta temporada pode ser mais fácil de ter disponibilidade pois há também uma alta demanda de turistas fazendo os trajetos mais clássicos.

    Nosso Motorhome alugado em San Francisco

    Principais Dicas:

    Agora vamos às principais dicas:

    • Tenha flexibilidade nas suas datas, com isso á mais fácil encaixar os dias disponíveis dos carros
    • Coloque aviso nos sites parceiros, como o Imoova
    • Tenha flexibilidade no seu roteiro, nem sempre vai dar pra fazer todos os pontos que deseja
    • Busque cidades próximas a que você estará
    • Olhe a disponibilidade pelo país antes mesmo de viajar, nesse meio tempo você terá uma noção das rotas mais comuns e conseguirá ter uma ideia de planejamento.

    Quer saber mais?

    Quer saber como foi nosso processo de locação pelo Imoova? Clique aqui.

    O Euclides e a Lu do blog Casal a Bordo comercializa um E-book sobre motorhomes completo. Para saber mais clique aqui.

    Nossa viagem terminou em San Francisco! Aqui tem um roteiro de 3 dias pela cidade.

  • Tutoriais

    Como abrir uma conta no exterior estando no Brasil

    Quando estamos planejando uma viagem para o exterior sempre colocamos na ponta do lápis todos os gastos. Geralmente cerca de 30% do valor ia para a hospedagem (mas agora estamos economizando com o TrustedHouseSitters), cerca de 20% para a alimentação (que também vai ter um post bom aqui sobre o TooGoodToGo), e os outros 50% divididos entre passagens e passeios. O que muita gente deixa de levar em consideração é que pagando tudo isso com o cartão de crédito brasileiro você acaba com um gasto de mais de 10% acima, só de taxas! A melhor forma de evitar isso é abrir uma conta no exterior, e ensinamos aqui o passo a passo que fizemos para abri-la online, mesmo estando no Brasil.

    Vantagens de ter uma conta corrente no exterior

    • Abertura da conta 100% online
    • Possibilidade de transferir seu dinheiro de reais e armazenar em Euros, evitando que uma alta no câmbio impacte sua viagem
    • Cartão de débito internacional, que pode ser usado em qualquer país sem custo
    • Seguro viagem, de bagagem e de roubo de aparelho celular (somente no plano mais caro da conta corrente)
    Tela de abertura de conta corrente do N26 em euros

    Por que escolhi o N26 como meu banco no exterior para conta corrente em euros

    Eu tenho uma conta corrente nos Estados Unidos que me fornece um cartão de débito em dólares da Visa, e dois cartões de crédito da Amex também em dólares. O cartão de débito tem o problema de cobrar uma taxa de uso no exterior de 3%, parecida com o nosso IOF. Os cartões Amex não possuem essa taxa, mas em vários estabelecimentos na Europa.

    Na União Europeia, independente de onde sua conta foi aberta, ela pode ser usada em qualquer país por causa dos acordos comerciais. Procurei em diversos bancos algum que me desse a opção de abrir a conta corrente online, mas todos eles pediam alguma comprovação de residência, ou passaporte europeu, ou visto de longa duração, e não temos nenhum destes itens no momento.

    O N26 é um banco criado na Alemanha em 2013, com a identidade totalmente digital assim como o Nubank no Brasil. Seu objetivo é se expandir globalmente de forma rápida. Hoje ele já funciona na maioria dos países da Europa, Estados Unidos, e tem planos para começar a funcionar no Brasil em breve. Ele é utilizado por vários brasileiros que moram no exterior, como nosso amigo Robba do blog De Lugar Nenhum.

    Como abrir a conta corrente sem precisar de um passaporte europeu

    Para abrir sua conta corrente no N26 é necessário escolher o país que ela será baseada. Hoje as regras do Reino Unido, Itália, França, Alemanha e Espanha dizem que é necessário apresentar o comprovante de residência, mas para abrir com sede em Portugal não é necessário.

    Como conseguir um endereço em Portugal

    Você vai precisar de um endereço em Portugal, pode ser de um amigo ou do hotel que você vai se hospedar e pode receber o cartão. Caso você não tenha planos de viajar para Portugal agora e prefere receber seu cartão no Brasil uma opção é um serviço de redirecionamento postal. Eles recebem toda a sua correspondência e embalam em um pacote só para enviar para qualquer endereço que você quiser no mundo! Esse serviço é muito utilizado para quem faz compras no exterior e quer receber no Brasil, mas isso é assunto para outro post.

    Nossa sugestão e utilizar o site Euro Fast Box, que é o site que usamos e vimos vários outros brasileiros utilizando com sucesso para sua conta no N26. O cadastro é gratuito e bem simples. Ele vai te mostrar um endereço de Portugal que você utilizará no N26. Não esqueça de colocar também o complemento, que é o seu número de identificação quando as cartas chegarem. Após a chegada do cartão você pode cadastrar seu endereço brasileiro e pedir para que eles façam o envio. Sua correspondência pode ficar até 30 dias com eles sem custo, caso você deseje reunir mais pacotes. Geralmente o custo do envio para o Brasil fica em torno de 9 euros.

    Abertura da conta no N26

    Após o cadastro e criação do seu endereço português, você está pronto para abrir sua conta corrente no exterior online! Siga por esse link pelo computador ou celular até o site do N26 e selecione Portugal como país. Preencha com seus dados pessoais e número de celular brasileiro.

    Na tela seguinte preencha com os campos de endereço que você recebeu do EuroFastBox. Não se esqueça do complemento! Depois são dados como sua nacionalidade e cidade e país de nascimento e por fim qual seu status empregatício e senha desejada.

    Os passos seguintes acontecem no aplicativo que você deve baixar para dar continuidade a verificação de identidade.

    No aplicativo

    No aplicativo são necessárias algumas checagens de segurança.

    • Foto dos dados do passaporte
    • Foto do Holograma do passaporte
    • Video Selfie pra mostrar que o rosto é real

    Após isso seu aplicativo é liberado, e o cartão chega em até 10 dias úteis!

    Cartão de Débito N26 da sua conta no exterior

    E sobre a legislação brasileira?

    Abrir uma conta no exterior é legal e bem descrita no imposto de renda. Caso você tenha um valor inferior a 100 dólares americanos na conta no dia 31 de dezembro não é nem necessário declará-la no imposta do renda. Caso o valor seja superior a esse, você pode declarar sob o tópico de ativos no exterior.

  • Tutoriais

    Flixbus é bom e barato mesmo? O Uber dos Ônibus.

    Vocês devem ter lido a notícia de que o Flixbus está estreando no Brasil pra concorrer com a Buser. Por coincidência reservamos duas viagens com eles aqui na França e vamos te responder o que realmente importa: “Flixbus é bom?”, “É barato de verdade?”, “É confiável, ou vai atrasar e cancelar?”, “Como comprar passagens?”. Então dá uma lida até o final do post, compartilha com seus amigos, e quando viajar com eles no Brasil volta aqui pra contar!

    Flixbus e sua cor verde característica.

    O que é o Flixbus?

    Fundada na Alemanha há 10 anos, a empresa já é considerada um unicórnio, ou seja, uma daquelas empresas que valem mais de 1 bilhão de dólares. Há pouco tempo ela inaugurou na Inglaterra com promoções de 1 libra por passagem, e é esperado que seja assim no Brasil também!

    Assim como o Uber, o Flixbus não é dono de nenhum ônibus, e não tem nenhum motorista de funcionário. Empresas locais terceirizam todas as rotas, o que permite crescer muito rápido! Outro ponto é que na maioria das cidades o Flixbus não para nas rodoviárias onde precisaria pagar altas taxas. Geralmente eles param em pontos turísticos ou estacionamentos de supermercados e shopping centers.

    Nossa experiência

    Viemos para a França pegar o passaporte verde digital para vacinados e estamos passeando entre as cidades. Saimos de Marselha em direção a Nice. Olha o comparativo abaixo, para uma rota de cerca de 3 horas, o trem custava cerca de 50 euros por pessoa e o ônibus apenas 12 euros.

    Comparativo de transportes entre Marseille e Nice

    Compramos nosso bilhete diretamente no site do Flixbus. Eles inclusive possuem a opção de mostrar o site em Português de Portugal, já que tem operações lá. Há várias opções de horários, e eles vão ficando mais caros conforme a data se aproxima e os lugares se esgotam.

    O valor inclui uma bagagem despachada, e pode-se contratar outras por 4 euros cada. Também tem a opção de reservar lugares por 1,50 euros, mas sugiro não pagar esse valor e vou explicar ali embaixo o motivo.

    Diversas opções de horários

    O embarque

    Chegamos na rodoviária de Marselha no horário (bem em cima do horário pra falar a verdade) e foi fácil reconhecer os ônibus verdes do Flixbus. Mas o ônibus parado ali ia pra outra cidade, e na baia do nosso havia um para a Bulgária meio bagunçado. Não conseguimos identificar exatamente o que aconteceu, mas nos pareceu que esse ônibus ocupou o espaço por mais tempo do que deveria e atrasou o nosso, cerca de 20 minutos.

    Enfim ele chegou. Nós mesmos precisamos colocar as malas no bagageiro e não havia qualquer ticket de recibo das bagagens que ficam ali. Acredito que no Brasil não deva ser assim (imagino que tenha até alguma lei exigindo o recibo).

    Apesar de não termos pagado o valor extra para reservar assentos, no email de confirmação vieram marcados assentos 14 e 15, então sucesso! Mas ao entrar no ônibus outro passageiro reclamou que o assento dele já estava ocupado, e o motorista disse que os assentos eram livres! Ponto negativo! Se eu tivesse pagado 1,50 euros a mais com certeza gostaria de sentar em meu assento.

    Assentos mais finos (e mais rígidos)

    A nossa viagem com o Flixbus

    O interior do ônibus foi renovado há pouco tempo e parece bem moderno. Conta com mesinhas e entradas USB para carregar o celular. O ônibus também tem WiFi e o espaço para as pernas era ótimo. O assento era um pouco rígido demais, é feito daquela espuma para que fique mais fino e possa liberar espaço para as pernas, mas no geral está aprovado. O assento e amenidades do Flixbus são bons sim.

    Uma curiosidade é que o ônibus que pegamos estava vindo da Espanha e o motorista só falava espanhol. Fomos parados pela polícia que retirou algumas malas do bagageiro e um cachorro farejador passou uma meia hora em busca de drogas, chegaram a levar uma mochila pra dentro do ônibus pra identificar o dono que desceu com os policiais mas logo voltou. Mesmo assim chegamos ao destino final com pouco atraso.

    Nosso embarque em Marselha com dois Flixbus no mostrador

    Conclusão

    O Flixbus é bom mesmo, e a viagem em si está aprovada! Adoramos ter mais concorrência para conseguir um serviço melhor ainda mais barato. Esperamos que seja assim também no Brasil, agora que está aguardando apenas a aprovação da ANTT.

  • Tutoriais

    Como conseguir o passaporte verde digital da Europa

    Meu passaporte verde digital europeu

    Para retomar nosso ano sabático tínhamos em mente que o mais importante era se vacinar. Após uma quarentena no México (que já postamos algumas fotos no instagram) fomos até os Estados Unidos e escolhemos a vacina da Pfizer, já usada por vários países do mundo e que tem o prazo de 21 dias entre as doses. Na época não havia discussão sobre o passaporte verde digital da Europa, nem mesmo ideia de unificação de controles entre os países da União Europeia.

    Há um post explicando como fizemos o agendamento e tomamos a vacina logo no dia que chegamos em Nova Iorque. Tomamos a vacina na CVS, que era a farmácia mais próxima do hotel, e recebemos um cartão como esse abaixo. Para a segunda dose estávamos em Boston, e só nos dirigimos até uma farmácia Walgreens com a carteirinha em mãos para que fosse carimbada.

    Carteirinha de vacinação americana

    Então recebemos as notícias das primeiras iniciativas de passaporte verde na Europa, que seria chamado de green pass, health card ou ate mesmo passaporte sanitário. A nossa carteirinha, como puderam ver acima, era bem simples, facilmente falsificável (tinha até gente vendendo no ebay) e de difícil verificação, já que não havia um QR Code. Como nosso primeiro destino europeu seria a França, começamos a pesquisar como conseguir um desses passes eletrônicos, e logo na primeira tentativa já saímos com ele em mãos, então vamos contar para vocês o passo a passo:

    Primeiro ponto: as Regras da França e o passaporte verde digital

    Desde o dia 21 de julho, todos os lugares que recebem mais de 50 pessoas cobram o passaporte verde digital, ou health pass. Isso significa que para ir em museus, cinemas, festas, piscinas, aglomerações no geral, mas até mesmo para comer dentro de restaurantes e ficar em hotéis é necessário apresentar seu QR Code.

    Cada pessoa tem um QR Code como esse abaixo. No sistema ficam gravadas todas as vacinas (com datas) e testes realizados. A vacina não é obrigatória, e caso você deseje não tomar não há problema, desde que faça um exame de antígeno que será válido por 48 horas. Esses pontos de testagem de COVID estão espalhados pela cidade e são gratuitos. Chegamos a encontrar um em frente ao Museu da Civilização, caso você não tenha tomado a vacina era só fazer um teste gratuito ali mesmo que seria gravado em seu passaporte verde e em meia hora você estaria liberado.

    Passaporte verde europeu – físico e digital

    Cada vez que você entra em um desses lugares, como o museu, apresenta seu QR Code. O funcionário do museu possui um acesso especial que verifica suas informações em um banco de dados e traz na tela se você está permitido entrar ou não.

    O que eu achei mais inovador no aplicativo é que ele pede acesso ao seu Bluetooth, uma forma de conexão entre celulares próximos. Imagina que um dia você almoça em um restaurante rodeado de outras pessoas, a tarde você vai para o museu e faz o teste de Covid na porta e o resultado é positivo. O sistema avisa a todos que tiveram contato com você para que façam novos testes.

    Baixe o aplicativo Tous AntiCOVID

    Como o próprio nome já diz, “Todos contra o COVID”, o objetivo é todos tenham o app em seus telefones e que a tecnologia ajude a erradicar a doença. O aplicativo é o passaporte verde digital e está disponível na Play Store do Google e na App Store da Apple em todos os países. Clique nos links para baixar.

    Quem não quiser o aplicativo não tem problema. O passe sanitário pode ser o QR Code impresso também, apresentado da mesma forma nas entradas dos estabelecimentos. Se perder esse papel imagino que seja possível imprimir um novo nos mesmos locais de cadastro.

    O app do passaporte verde digital está disponível na App Store e Play Store

    Encontre um local de vacinação perto de você

    Escutamos de algumas pessoas que havia farmácias que também vacinam e poderia inserir os dados de sua carteirinha no sistema, mas que essas farmácias estavam cobrando entre 20 e 30 euros só para isso! um valor tão surreal que pensamos em desistir e nem correr atrás, mas decidimos buscar centros de vacinação do governo, e encontramos este website oficial. Através deste link você consegue verificar o local mais perto de seu hotel. Primeiro tentamos uma farmácia que estava somente fazendo testes (mas não dando vacinas) e eles disseram que isso não era possível para estrangeiros. Mas seguimos a indicação deste site e logo no primeiro local já deu tudo certo!

    Mapa no site do governo francês com todos os pontos de vacinação

    Leve seu passaporte e carteirinha de vacinação

    Quando chegamos havia uma pequena fila de pessoas aguardando a vacina. Por sorte, a pessoa responsável por realizar a triagem na entrada era um francês em seus 20 e poucos anos, filho de escoceses que tinha um inglês perfeito! Mostramos nossa carteirinha de vacinação e explicamos que gostaríamos do passaporte verde digital europeu, e ele confirmou que era possível, só precisaríamos aguardar nossa vez de falar com o médico.

    O médico já era um senhor de idade, que não falava nada de inglês, mas tivemos a ajuda de um outro intérprete na tradução e o processo foi extremamente simples! Ele abriu o site do governo francês, digitou os dados que constavam em nosso passaporte (nome e data de nascimento), digitou os dados da carteirinha (fabricante e data das doses), e pediu telefone e endereço (no caso passei o endereço de nossa anfitriã do TrustedHouseSitters que já falei nesse post, e passei o telefone do chip de celular que havia comprado). Ele imprimiu duas folhas com o QR Code e assinou! Com isso já estávamos liberados pra aglomerar o quanto quisermos!

    Consiga o seu passaporte verde digital europeu

    Mas o melhor é não depender apenas de um papel (que toda hora a gente se perde nessas papeladas, ou molha nesses passeios de barco). Abra o aplicativo que baixou anteriormente, coloque em ler QR Code e aponte para o papel que recebeu, e você aparecerá a mensagem de sucesso! Até confetes caem na tela! Foi a mesma emoção de ter tomado as doses da vacina!

    É tetraaaa!!! O passaporte verde digital já está no app!

    E se a minha carteirinha de vacinação for brasileira da Anvisa?

    No final é isso. Encontrando o lugar certo com as pessoas motivadas em te ajudar não tem erro. Não há motivos para não ter um passe europeu caso você tenha sido imunizado com uma vacina aprovada pela OMS e pela agência europeia de saúde. Só seguir o mesmo passo a passo e aproveitar os benefícios da vacina (e de nunca mais precisar colocar o cotonete no nariz). E quando for aglomerar não esquece de me chamar!

    A regra é clara: Completou a cartela é Bingo! (Foto da primeira brasileira imunizada, agora é só conseguir seu passaporte verde digital)

  • Tutoriais

    TrustedHouseSitters é confiável? Hospede-se de graça

    Soraya passeando com a Shayna

    Depois de postar stories no instagram sobre nossa experiência com o TrustedHouseSitters e como se hospedar de graça nos EUA (em Nova Iorque, San Francisco e Boston) na casa de pessoas que precisam de alguém para cuidar de seus animais, recebemos diversas perguntas, principalmente se o site é confiável e seguro, quanto custa a assinatura, para quem serve e para quem não serve, e como se candidatar. Nós ouvimos falar do site há alguns anos, mas só assinamos depois que o José Panda do blog Inda Vou lá nos contou das suas experiências e de uma casa que passou 50 dias no Vietnã. Se você quer ir direto para o site com o desconto de 25%, use esse link do TrustedHouseSitters

    O que é o TrustedHouseSitters e como funciona o house sitting?

    O House Sitting é parecido com ser Baby Sitter, mas ao invés de cuidar do bebê de outra pessoa você deve cuidar da casa (e geralmente de plantas e animais de estimação dentro dela). O TrustedHouseSitters é a plataforma mais famosa, lançada em 2010 e que hoje conta com centenas de casas cadastradas buscando uma “babá”.

    O TrustedHouseSitters é confiável?

    Sim, totalmente confiável e seguro. Tanto se você estiver procurando uma casa, quanto alguém para ficar em sua casa, é sempre importante ler o perfil da pessoa, ver as opiniões de quem já conheceu aquela pessoa e até mesmo fazer uma videoconferência. Uma das casas em que ficamos já estava cadastrada há 5 anos e havia hospedado mais de 10 pessoas. Além disso o site tem várias formas de garantir a autenticidade dos dados dos usuários e garantir sua segurança. Há centenas de relatos em blogs gringos sobre como usaram o TrustedHouseSitters para se hospedar de graça e ele é confiável, mas aqui no Brasil ainda está só começando.

    Onde o TrustedHouseSitters está disponível?

    Na nossa experiência, os principais usuários são da Europa. Mas apesar de ter mais casas, tem bem mais sitters também, o que torna um pouco mais complicado. Mesmo assim estamos com uma casa agendada para ficar 25 dias em Paris! Nos EUA há várias opções também e é bem fácil conseguir! Praticamente em todas as cidades que visitamos havia casas e conseguimos encaixar em nossas datas. Esse mapa acima mostra as casas e apartamentos disponíveis hoje, dia 2 de agosto de 2021, no site.

    TrustedHouseSitters no mundo

    Para quem é e para quem não é?

    O TrustedHouseSitters é ótimo para quem quer viajar economizando o hotel (e também em alimentação, já que toda casa tem a cozinha e você pode preparar até sanduíches caso queira almoçar na rua), e como bônus ainda terá um animal de estimação para brincar. Mesmo para quem não fala inglês ainda dá pra usar o tradutor. Mas ele não vai funcionar para quem tem um prazo apertado e precisa agendar tudo com antecedência, já que várias vezes as oportunidades aparecem em cima da hora.

    O site também funciona muito bem para quem não tem experiência com animais. Antes do TrustedHouseSitters o único animal de estimação que tivemos juntos foi um peixinho beta, então nossa experiência com animais maiores era quase nula, mas adoramos animais e você descobre que todos eles são extremamente amorosos após algumas horas com você. Hoje se me oferecerem uma casa do TrustedHousesitters e um hotel no mesmo local e data, ambos de graça, ainda prefiro o animal de estimação!

    Nossa Experiência até agora com o TrustedHouseSitters:

    Passamos um mês e meio viajando pelos Estados Unidos agora em Junho e Julho de 2021, e conseguimos três hospedagens. Foram 4 dias em Nova Iorque, 7 dias em Boston e 5 dias em San Francisco. De uma forma bem resumida posso dizer que a hospedagem mais barata em hotel em cada um desses lugares custava uns 80 dólares, ou quase 450 reais por noite. Então foram praticamente 7200 reais economizados! Acho que já é o suficiente pra dizer que o TrustedHouseSitters é confiável né?

    Nossa hospedagem em Nova Iorque:

    Foi a primeira hospedagem que nos aceitou, mesmo quando não tínhamos nenhuma referência, Abigael, a dona do apartamento em NY viu nossas redes sociais e gostou! Nos hospedamos quatro dias com 2 gatos brancos bem fofinhos chamados Rudy e Val que não saiam de casa e eram alimentados de manhã e a noite. Era um apartamento em Manhattan bem interessante. A curiosidade é que os donos do lugar não tinham uma TV, mas uma coleção imensa de discos de vinil que podíamos escutar.

    Durante o dia a gente passeava a vontade em NY (e tinha um metrô na porta, então foi muito fácil) e a noite ficávamos em casa com os gatinhos. Antes de entrarmos no apartamento, nos hospedamos em um hotel em Wall Street por alguns dias que foi o mais barato pra época, e mesmo assim custou 100 dólares a noite. Os preços estavam muito altos por causa das férias americanas.

    Os gatos eram bem calmos! Durante o dia andavam pela casa e olhavam os pombos pela janela, e a noite dormiam no quarto com a gente, em uma prateleira em formato de cama na parede. Um dia demoramos mais pra sair da cama e um dos gatos não gostou do atraso no café da manhã e acordou a Soraya com pequenas mordidas no dedão do pé.

    A internet era ótima, a cozinha tinha tudo que a gente precisava e até havia uma lavanderia no prédio que era usada com um cartão pré pago, mas os donos deixaram o cartão com crédito para que pudéssemos lavar nossas roupas!

    Val observa os pombos enquanto Rudy descansa em sua “cama”

    Nossa hospedagem em Boston:

    A hospedagem aqui deveria ser de uma semana mas, quando falamos a Rachelle, a dona da casa, que dormiríamos em um hotel na cidade ela já nos convidou a dormir uma noite a mais na casa, mesmo antes de eles saírem para as férias. Jantamos junto com seu marido Kunal e seu filho. Essa noite extra foi ótima para mostrar que cuidaríamos bem dos animais, e também pra ver a rotina de cada um e nos passou muita segurança. No dia seguinte eles arrumaram suas malas e saíram nos deixando sozinhos com a casa e os animais.

    Era uma casa gigante no subúrbio de Boston, daquelas tipo que a gente vê no filme “Esqueceram de Mim” com três carros na porta da garagem (mas a garagem mesmo fica cheia das bagunças de acampamento), um porão onde Kunal montou seu home office com microfone e iluminação especial para as videoconferências (e que usamos algumas vezes) e até um sótão daqueles que a escada desce do teto. Dormimos no quarto da filha de Rachelle que já não mora mais com eles. A casa ficava a 15 minutos da estação de onde partia o trem de Boston e Rachelle nos deixou duas bicicletas para quando fôssemos a cidade (dos 8 dias na casa, passeamos em Boston umas três vezes).

    Os animais eram os mais incríveis! Shayna era uma mestiça de pastor alemão com 3 anos bem agitada e ciumenta, e Raj um labrador de 10 anos quietão mas bem feliz. Dormiam dentro de casa, mas de manhã eles iam pedir para abrir a porta do quintal para que pudessem brincar e fazer as necessidades. Quando se cansavam voltavam pra dentro e a Shayna tentava pular em cima da cama no meio da gente pra tirar uma soneca! Um dia Shayna cansou de brincar sozinha e veio me tirar da cama com uma lambida no rosto!

    “Bom dia humano. São 6 horas da manhã. Até que horas você pretende ficar na cama?”

    Na casa ainda tinha duas tartarugas que Rachelle e Kunal resgataram de Chinatown 10 anos atrás (e provavelmente virariam sopa). Elas recebiam 15 comidinhas toda noite e gostavam de passar o dia assim, empilhadas em uma pedra no aquário.

    Uma parte especial dessa hospedagem foi em relação a alimentação. Havia uma churrasqueira no quintal em que fizemos salsichas pro 4 de julho, aqueles hotdogs só de pão, mostarda e ketchup, um prato tipicamente americano. Havia dois grandes supermercados a uns 10 minutos da casa que a gente ia de bicicleta mesmo e Rachelle ainda deixou a geladeira cheia de comida. Ela foi bem clara que tudo estava liberado pra gente, principalmente porque algumas coisas estragariam durante seu tempo fora. Até bolo de cenoura com recheio de chocolate a gente fez.

    Após sairmos da casa recebemos uma mensagem de Rachelle dizendo que Shayna e Raj iam de vez em quando até o quarto que dormimos para nos procurar, e que ela quer muito que voltemos um dia para Boston fazer uma visita a família inteira! O TrustedHouseSitters é ótimo para fazer amigos, além de confiável e seguro.

    Cara do Raj quando você pergunta se o TrustedHouseSitters é confiável

    Nossa hospedagem em San Francisco:

    Essa foi a hospedagem mais estranha! Kelli tem 3 gatos e mora em uma casa de dois andares em San Francisco, bem perto dos pontos turísticos. Nós deveríamos alimentar os gatos de manhã e a noite, mas durante o dia era pra deixá-los soltos que eles gostavam de passear pela rua! A gente colocava comida no pratinho a noite e de manhã o prato estava limpo, mas a gente nunca via os gatos! Imagina passar cinco dias na casa pra cuidar dos gatos e eles nunca aparecerem, que desespero!

    Uma vez olhei pela janela e vi um dos gatos do outro lado da rua, ele me encarou por alguns minutos e seguiu seu caminho sem nem me dar satisfações. A única vez que vi os três gatos juntos foi quando fui tirar o lixo no quintal no último dia e eles estavam lá. Mandamos várias mensagens pra Kelli dizendo que estávamos preocupados que eles nem dormiam em casa, mas ela disse que era normal, não era pra se preocupar. Os gatos não usaram a caixinha de areia nenhuma vez. Então dessa vez nosso trabalho pra cuidar dos animaizinhos foi zero!

    Não sei se eu estava cuidando do gato, ou se ele achava que a casa era só um hotel

    Nessa casa também chegamos na noite anterior da cidade e Kelli nos convidou a ficar na casa por um dia a mais. Diferente da Rachelle em Boston, não chamaram para jantar junto nem ficar conversando muito, nos deixaram em um quarto de hospedes no andar de baixo e recebemos uma chave da casa, liberdade total mesmo quando eles ainda estavam ali (confiaram totalmente na gente). No dia seguinte sugeriram que mudássemos pro quarto principal quando eles viajaram. Como passamos os dias conhecendo San Francisco acabamos só jantando na casa, mas de manhã dava pra preparar uns sanduíches pra levar, então nosso custo com alimentação caiu bastante.

    Próximos passos e hospedagens no TrustedHouseSitters:

    Após essa viagem para os Estados Unidos, nosso plano era ir visitar a Itália, então começamos a olhar as opções de casas na região e nos países próximos. Aí encontramos a Sophie que mora em Paris, tem dois cachorros e um gato e precisa de alguém pra ficar 25 dias na casa dela! Imagina quase um mês que você pode ir caminhando fazer picnic todo dia na Torre Eiffel e gastar o dinheiro que seria pro hotel em queijos e vinhos franceses! Claro que mandamos mensagem e ela logo nos retornou dizendo que precisava de alguém com urgência pois havia combinado com outra pessoa no mês anterior, mas essa pessoa teve um imprevisto e ela adorou nosso perfil! Já olhamos as passagens mais baratas com milhas e chegamos ontem aqui na França! Logo faço outro post sobre como funciona o TrustedHouseSitters na Europa!

    Tem 976 casas esperando a gente só na Europa

    Quanto custa se hospedar com o TrustedHouseSitters:

    Para ver todas as oportunidades não custa nada. Você pode entrar direto no site do TrustedHouseSitters e ver os anfitriões, animaizinhos e datas. Você já pode ter certeza que o que aparece ali é mesmo real e confiável.
    Se você encontrou alguma casa que bate com as datas da sua viagem e quer mandar uma mensagem precisa se inscrever e pagar uma assinatura! O valor atualmente é de 119 dólares americanos, aproximadamente 620 reais. Se você viu nossas experiências ali em cima percebeu que esse valor se paga com 2 noites em uma casa com o cachorro ou gato! E pra ajudar ainda mais, se cadastrando pelo nosso link de indicação você ganha 25% de desconto na anuidade e o valor final será de 465 reais pra um ano! Você pode se hospedar ilimitado (e levar seu marido/esposa/amigo/filhos/etc). Usando nosso link você ganha o desconto e a gente ganha mais 2 meses de associação e queremos manter nosso cadastro para sempre! A anuidade é a única coisa cobrada, e você não precisa pagar nada extra pra cada casa que ficar.

    “Já experimentei o TrustedHouseSitters mas ninguém me aceitou! Não sei se o site é confiável.”

    Sabemos que no começo não é fácil. Algumas casas mais concorridas tem dezenas de pessoas interessadas (vimos uma em Napa Valley, a região dos vinhos da Califórnia que tinha 70 aplicantes). Como não conseguimos dar uma ajuda individual de verdade aqui pelos comentários do blog nem do Instagram, o José Panda e eu conversamos sobre montar uma consultoria individualizada! Dá uma lida aqui no post deles com as experiências que tiveram na Ásia com o TrustedHouseSitters. Se você tem uma viagem marcada nos próximos meses para a Europa ou Estados Unidos e quer economizar com hospedagem, nós te ajudamos com isso!Ddesde o processo de analisar as casas do TrustedHouseSitters, até como preparar e mandar sua carta de apresentação para aumentar suas chances de conseguir uma casa especial! Manda uma mensagem no nosso Instagram e eu garanto que o valor que definimos vai se pagar com a primeira hospedagem.

    Você prefere ficar em um hotel ou ter esses bichinhos pra brincar?